SOBRE A HISTÓRIA DA _RTE


O projeto A HISTÓRIA DA _RTE apresenta dados quantitativos e qualitativos de todos os 2.443 artistas encontrados em 11 livros utilizados em cursos de graduação de artes visuais no Brasil. A intenção é mensurar o cenário excludente da História da Arte oficial estudada no país a partir do levantamento e do cruzamento de informações básicas das/dos artistas encontradas/encontrados. Com isso, espera-se que as interessadas e os interessados no tema tenham um material de apoio para construir outras leituras para a História ou mesmo uma transformação radical do campo.

O projeto nasceu quando um de seus integrantes, o artista Bruno Moreschi, começou a ministrar uma disciplina de História da Arte na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). A bibliografia prevista para o curso não abordava as produções realizadas por mulheres (negras ou não), negros e artistas nascidos na América Latina. Que História é essa que aprendemos e estamos ensinando aos alunos?

Objetivando quantificar os aspectos já consolidados na narrativa da História da Arte, Bruno e os pesquisadores Amália dos Santos e Gabriel Pereira iniciaram A HISTÓRIA DA _RTE, projeto premiado pelo programa Rumos Itaú Cultural (2015-2016) e com produção geral de Marcela Amaral, Mônica Novaes Esmanhotto e Laura Maringoni.

A pesquisa teve início com a listagem, em formato de tabelas, de todos os artistas de 11 livros de História da Arte e as seguintes informações: anos de nascimento e morte; onde nasceu, trabalhou e morreu; gênero e raça; técnica principal utilizada. A partir da análise desses dados, observou-se que

de um total de 2.443 artistas, apenas 215 (8,8%) são mulheres, 22 (0,9%) são negras/negros e 645 (26,3%) são não europeus. Dos 645 não europeus, apenas 246 são não estadunidenses. Em relação às técnicas utilizadas, 1.566 são pintores.



Os dados das tabelas foram a base para a produção de um material de apoio impresso em formato de panfleto, semelhante àqueles encontrados na entrada de museus e centros culturais. Desenvolvido pelo designer Guilherme Falcão, ele apresenta textos, gráficos e mapas que mostram os principais dados encontrados.

Com tiragem de 13 mil exemplares em português e 2 mil em inglês, o material será distribuído gratuitamente ao longo de 2017 na entrada de museus do Brasil e de outros países selecionados pela equipe. Esta ação de distribuição problematiza o papel das instituições culturais que são, assim como os livros pesquisados, responsáveis pelo cenário restrito da História da Arte. O que diretores/diretoras e curadores/curadoras dos museus têm a dizer sobre o cenário aqui apresentado? Que ações concretas estão sendo tomadas para que os acervos que coordenam deixem de ignorar as produções artísticas de mulheres, negras, negros, indígenas e não europeus, por exemplo?

Todos os textos do panfleto e deste site tiveram acompanhamento crítico da curadora Ananda Carvalho. O projeto também contou com um conselho formado pelas professoras Caroline Cotta de Mello Freitas, Claudia Mattos Avolese e Vera Lúcia Benedito. 

Diferente da História normativa que queremos problematizar, não consideramos que nossa pesquisa seja um discurso detentor de uma verdade absoluta, tampouco algo finalizado. A equipe do projeto está aberta para possíveis (e bem vindas) contestações e tem interesse de publicar aqui eventuais sugestões e críticas.

A HISTÓRIA DA _RTE é um projeto que tem influência das novas leituras para a História da Arte – como as de Arthur Danto, Hans Belting, Didi-Huberman, estudos pós-coloniais etc. publicadas desde os anos 1980 e que vêm ganhando espaço nas universidades brasileiras nas ultimas décadas. Considerando que essas discussões se restringem a poucos grupos, em geral no âmbito acadêmico de cursos de pós-graduação, este projeto procura oferecer dados para que elas também ocorram em públicos mais amplos.

Boa visita!



EXPEDIENTE Concepção: Amália dos Santos, Bruno Moreschi e Gabriel Pereira.
Coordenação geral: Bruno Moreschi.
Produção executiva: bólide | ações pró-cultura - Marcela Amaral, Mônica Novaes Esmanhotto e Laura Maringoni.
Pesquisa e tabulação dos artistas: Gabriel Pereira.
Textos: Ananda Carvalho.
Design gráfico e edição: Guilherme Falcão.
Conversão de dados em cartografia: Pedro Vada, Guilherme Falcão e Amália dos Santos.
Pesquisa de instituições para distribuição: Anna Carolina Gorski Boresztein.
Site: Bruno Moreschi e Guilherme Falcão.
Conselho editorial: Caroline Cotta de Mello Freitas, Claudia Mattos Avolese e Vera Lúcia Benedito.


Agradecimentos: Aarhus Universitet, Instituto de Artes da Unicamp, Alodie Larson, Armando Maduro, Caio Paraguassu, Eduardo Costa, Fernanda Pessoa, Fernanda Pitta, Giselle Beiguelman, Goethe Institut São Paulo, Iara Schiavinatto, Jaime Lauriano, Juliana Biscalquin, Leonardo Foletto, Mariana Nacif Mendes, Mayra Koketsu, Nathalia Lavigne, Sylvia Furegatti, Paula Alzugaray, Thays Viana Ishikawa.



O conteúdo integral da pesquisa é de domínio público, sem nenhum tipo de restrição para copiar, distribuir, exibir e executar outros projetos derivados dele.


Este projeto é apoiado e selecionado pelo Rumos Itaú Cultural 2015-2016. Apoio Goethe Institut.